Residência Artística 2015

Sonia Teixeira

Bio

Antropóloga e Economista, iniciou a vida profissional como técnica em projetos de Cultura e Meio Ambiente em Secretarias do Estado e posteriormente ampliou o campo de trabalho, voltando-se para o Terceiro Setor, prestando serviços de consultoria e assessoria a projetos de Arte Educação, Educação e Esportes. Realizou projetos de Arte e Cultura em parceria com a Petrobrás Social, ProAC ICMS, Eletrobrás, MinC/Rouanet, FUNARTE/EDITAIS, FUMCAD/CMDCA, Instituto Minidi Pedroso de Arte e Educação Social/IMPAES, Instituto Brincante, Cia de Danças de Diadema, Grupo Triii, Programa Einstein na Comunidade/PECP, Instituto PROF, Associação Santo Agostinho-ASA, Coletivo Zebra5, Cia Palavras Andantes.

Desde mai/2012 atua como professora voluntária de ONGs, trabalhando com crianças e adolescentes de baixa renda em oficinas de Comunicação e Expressão, visando desenvolver a compreensão, a oralidade, a leitura e a escrita da língua Portuguesa. Como instrumento de trabalho, utiliza-se de textos e obras da Literatura Brasileira, como estratégia para desenvolver nos alunos o prazer pela leitura e escrita. Escreve crônicas, poesias e contos desde a adolescência, mas que não foram publicados.

No início de 2014 inicia nova etapa profissional, com projetos de pesquisa autorais, envolvendo a temática do Tempo e Memória, dentre outras.

O projeto

ROSA COM VENTOS DA MEMÓRIA

Reinventar a bússola, essa é a proposição do projeto Rosa com Ventos da Memória, um mergulho artístico em uma das grandes questões do século XXI: a velocidade das redes e tecnologias da comunicação e o contraponto dado pela necessidade do tempo interno de cada um.

Tendo como base entrevistas gravadas em vídeo, a residente apresenta um mosaico de opiniões, trazendo uma visão polifônica, que, de algum modo, faça o público refletir sobre o looping temporal contemporâneo. Essas falas são mediadas por imagens de três personas presentes no dia a dia de cada um: a sedução do outro, o desejo de ser o outro e por fim, a busca de si mesmo.

Texto crítico

Por Christina Rizzi

A videoinstalação Rosa com ventos da memória realizada por Sonia de Almeida Sampaio Teixeira é constituída fisicamente por um conjunto de seis projeções sendo cinco delas em vídeo nas TVs e uma em data show. Este conjunto é acolhido em um espaço que vai além de ser um espaço expositivo, é um espaço constituinte da própria obra. Ele não só a circunscreve como também aponta para as quatro direções cardeais: Norte, Sul, Leste e Oeste.

Todas as dirções, por meio de depoimentos, nos introduzem a temas sensíveis à nossa época. A direção norte refere-se à Bússola, a sul à Tecnologia, a leste ao Tempo e a oeste à Memória.

Quatorze pessoas de diferentes origens, gêneros, idades, escolarizaçã, profissões e status social, motivadas por uma conversa “olho no olho” com a autora, refletem e discorrem sobre sua relação com as opções que surgem e levam a escolhas durante o dia a dia e da vida; o uso das tecnologias e a relação consigo e com os outros; as memórias vividas e imaginadas; de que forma sentem e vivem o tempo presente, considerando o passado e incluindo uma perspectiva para o futuro.

A projeção que abre o processo de fruição da obra é o registro de uma performance, dança que nos apresenta três dos momentos do Ser: a sedução do outro, o desejo de ser o outro e a busca de si mesmo.

No último dos vídeos, no ponto em que se completa a vídeoinstalação, Sonia nos oferece uma interpretação reflexivo-poética sobre a Rosa com ventos da memória. A interpretação-criação não é fechada, ao contrério, instiga e delega ao público, ao fazer perguntas importantes e pertinentes, o pensar sobre as várias acepções da palavra sentido. Sentido pode significar definição; essência; discernimento; orientação; propósito; cuidado; perspectiva; sensível; pesaroso; cediço. Todas as compreensõess extensíveis a momentos e aspectos das nossas vidas.

Foram quatorze as pessoas entrevistadas antes da abertura da exposição. Na exposição somos incontáveis a sermos convidados para dançarmos ao sabor dos ventos, conduzidos pelas nossas memórias passadas e presentes, buscando nossas direções e sentidos ao trançarmos as nossas redes de relacionamentos tendo como matéria prima o tempo à nossa disposição e a vital busca interior.

Obrigada Sonia.

Processo Work in Progress