Residência Artística 2016

Vanessa Rodrigues

Vanessa Rodrigues
Bio

Vanessa Rodrigues nasceu em Santos em 1985. Formada em jornalismo pela Universidade Católica de Santos, é pós-graduada em fotografia pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), onde realizou estudos da poética da imagem. É repórter-fotográfica do jornal A Tribuna de Santos desde dezembro de 2009. Foi vencedora do VIII Prêmio Baixada Santista Através das Lentes, em 2009, com o retrato da artista Tomie Ohtake. Em novembro de 2015, realizou a intervenção urbana trezeMARIAS em formato lambe-lambe e áudios instalados nas fachadas dos cortiços de Santos, como primeiro processo deste projeto autoral. Realizou cursos e workshops nas principais escolas de fotografia de São Paulo e concluiu cursos teóricos na área no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM). Já realizou quatro exposições coletivas em eventos ligados ao Fotojornalismo, além de participar, com o projeto trezeMARIAS, no Valongo Festival Internacional da Imagem. No E.CO 2014, contribuiu para a exposição em formato lambe-lambe sobre os trabalhadores do Porto de Santos por meio do coletivo Nitro.

O projeto

trezeMARIAS

Mais de 14 mil pessoas vivem nos cortiços de Santos.
Mais de mil são mulheres acima de 60 anos.
Treze delas são MARIAS.

Desde 2014, a fotógrafa Vanessa Rodrigues convive com as Marias, visitando seus cotidianos, suas histórias, seus sonhos. Tais Marias são 13 mulheres com mais de 60 anos que vivem em cortiços localizados em antigos casarões no centro da cidade de Santos. Mas também poderiam ser muitas outras. Atrás daquelas portas e janelas de residências construídas durante o ciclo áureo do café no final do século XIX e começo do século XX, há vozes com quem poucos conversam.

As trocas afetivas entre Vanessa e as Marias foram registradas em fotografias. No final de 2015, durante a primeira etapa de exibição do projeto, as imagens produzidas ganharam a forma de intervenção urbana, através de lambe-lambes colados nas próprias fachadas dos casarões em que essas senhoras vivem. Já em 2016, na Residência LABMIS, Vanessa pesquisou sobre as possibilidades de interação entre imagens e sons e sobre a espacialização deste projeto. Questionou-se sobre as diferenças e semelhanças que poderiam emergir entre um trabalho realizado na rua e sua instalação no espaço expositivo do MIS.

trezeMARIAS busca, então, abrir as portas e janelas daqueles antigos casarões. Porém, trata-se de um dar a ver subjetivo, um espiar pelas beiradas, que não procura fechar-se em uma única experiência. Pode-se observar que a instalação apresenta diferentes perspectivas para refletir sobre os vestígios da memória. A memória destas senhoras aqui apresentadas, de seus corpos, dos quartos onde vivem, dos objetos que estão lá. A memória das paredes, das casas, da cidade, seu patrimônio arquitetônico, visual e cultural. A memória processual do próprio trabalho de Vanessa. E, por fim, as sobreposições de todas essas camadas junto à memória do público que visita a instalação.

As vozes são ouvidas por poucos. Poucos que param e olham para o lado. É um simples gesto, mas olham para a história e para o sonho de pessoas que querem um lar.

Ananda Carvalho

compartilhe #trezemarias

Videoinstalação
projeção visual em dois canais e áudio em dois canais diferentes, tecido, banco e quatro caixas de som
3 min, looping
Edição de imagens e som: Bruno Arrivabene e Victor Allencar (Dois Pontos Filmes) e Vanessa Rodrigues Orientadores conceituais:
Ananda Carvalho

Orientadores técnica
Marcelo Bressanin
Pedro Ricco (DUO b)

Processo Work in Progress